Select Page

Atrasos na devolução de livros nas bibliotecas da UFMA aproximam-se dos cinco anos

Atrasos na devolução de livros nas bibliotecas da UFMA aproximam-se dos cinco anos

Texto e fotos de  Ariel Rocha

Das duas bibliotecas da UFMA em Imperatriz, o material com o maior prazo atrasado para a devolução tem quase cinco anos emprestado. Segundo relatórios gerados pelo Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA) da Universidade Federal do Maranhão, o livro retirado na biblioteca do Campus Centro deveria ter sido entregue no dia 13 de maio de 2013. A multa para cada dia de atraso é de R$ 0,50, o que contabiliza mais de R$ 600 acumulados neste caso.

A bibliotecária da UFMA, Vivian Oliveira da Silva, acredita que a situação dos livros atrasados é frustrante para todos os envolvidos: usuários devedores, funcionários da biblioteca e tanto quanto para os demais estudantes da universidade. “Para mim é particularmente triste, porque estão privando outros de terem acesso a informação”, afirma a bibliotecária.

Atrasos comprometem o acervo da instituição

No Campus Avançado Bom Jesus, os campeões são cinco livros que possuem quase quatro anos de atraso por dois usuários. “Já teve aluno que só descobriu o atraso no dia de buscar o Nada Consta e o que aconteceu foi a perda do livro pelo usuário, que nesses casos tem até 30 dias para pagar a multa e devolver um livro igual ou semelhante”, explica Vivian.

Ainda de acordo com o levantamento do SIGAA, que é o sistema da universidade desde 2012, as duas bibliotecas contabilizam juntas 137 materiais em atraso e 63 oficialmente perdidos. Para a bibliotecária, o número não é pequeno, pois acontece muitas vezes de haver apenas um exemplar de alguns títulos no acervo. “Podem ser livros que outras pessoas vêm procurar e precisam, mas eles nunca estão disponíveis por causa disso”, completa.

O estudante do curso de Licenciatura em Ciências Humanas – Sociologia, Moab Paiva, acredita que deveria existir uma flexibilidade maior nos pagamentos dos boletos, pois a Guia de Recolhimento da União, a GRU, só pode ser paga no Banco do Brasil. “Atrasei, pois ficava renovando os empréstimos dos livros no sistema, porém chegou um momento que eu achava que estava renovado, mas aconteceu que não. Acabei atrasando apenas um dia e tive que ir pagar a multa no banco”, explica o aluno.

Moab ressalta um problema seu e de vários outros colegas do curso de Ciências Humanas no acesso na biblioteca de livros passados pelos professores. “Nós temos muita dificuldade em encontrar os textos específicos da literatura do curso, tanto os clássicos como os contemporâneos que os professores passam em aula, então procuramos por versões digitais na internet, que é a melhor saída”, declara.

Hoje os acervos das duas bibliotecas contabilizam juntas cerca de 22.237 exemplares de livros. Acompanhe abaixo a tabela com os números de materiais atrasados por ano nos campi Centro e Bom Jesus segundo os relatórios do SIGAA, todos são livros. 

É importante frisar que para conseguir concluir seu curso, o universitário da UFMA deve estar sem pendências na instituição, isso inclui empréstimos de materiais e o pagamento de multas por atrasos na devolução. Já as multas por cada dia de atraso só param de gerar juros quando os livros são devolvidos às bibliotecas. Embora o pagamento seja possível apenas no Banco do Brasil, ele também pode ser feito online pelo Internet Banking da agência.

 

Doações

Desde agosto de 2017, as bibliotecas da UFMA em Imperatriz recebem doações diretas de livros. Antes, assim que doados, eles eram enviados para São Luís a fim de serem cadastrados no sistema e tombados como patrimônio da universidade, o que tornava lenta a disponibilidade do material no acervo. Agora, por terem o treinamento necessário, os bibliotecários fazem todo o tratamento técnico dos livros doados, a única coisa requisitada de São Luís é o envio do número de tombamento.

Para fazer a contribuição de materiais para o acervo, basta entregá-los aos bibliotecários ou bolsistas que ficam em uma das bibliotecas nos campi da universidade na cidade.

About The Author