Select Page

Acadêmicos de veterinária da UEMA realizam atendimentos gratuitos

Acadêmicos de veterinária da UEMA realizam atendimentos gratuitos
"A maioria dos atendimentos cirúrgicos são de castração", diz coordenador do curso Leônidas Chow. (Foto: Danilo Verpa)

“A maioria dos atendimentos cirúrgicos são de castração”, diz o coordenador do curso, Leônidas Chow. (Foto: Danilo Verpa)

Desde 2009, o curso de Medicina Veterinária da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), realiza atendimentos gratuitos a cães e gatos de Imperatriz e região nos casos em que o proprietário não consegue arcar com um atendimento particular.

A atividade realizada em aula da disciplina de Clínica Cirúrgica, todas as quartas-feiras pela manhã, faz um serviço social para a sociedade, prestando serviços de medicina animal gratuita; em contrapartida alunos da disciplina realizam a prática médica.

O professor e coordenador do curso, Leônidas Chow Castillo, relata que desde o início desse serviço já foram atendidos mais de 1200 cães e gatos. Dentre os procedimentos cirúrgicos, o maior número é de castrações que no mercado custam em média R$ 200,00.

Para o acadêmico Paulo Vitor Silva de Carvalho, o laboratório utilizado como centro cirúrgico não é adequado para o uso, mas com o esforço dos professores e alunos eles conseguem desenvolver as atividades acadêmicas. “Dá para aprender e fazer cirurgia, mas não está de acordo com um centro cirúrgico de verdade, precisa melhorar”, ressalta o aluno.

A reposição de material é feita pelos próprios alunos e professores. “Eu e o alunos contribuímos para a reposição dos materiais, quando está acabando nós fazemos uma espécie de vaquinha, e vamos nos virando assim, sem verba mesmo”, afirma o coordenador do curso.

Novos projetos – Com o intuito de ampliar o atendimento a coordenação do curso está encaminhando uma proposta de parceria com a prefeitura municipal. Caso o projeto seja aceito o curso passará a atender diariamente à população, enquanto a prefeitura fica responsável pelo custeio do material para uso veterinário.

“Com a aprovação do projeto, poderíamos atender mais pessoas e contribuir para a redução, no crescimento populacional de cães e gatos no município”, diz esperançoso o professor. Ressalta ainda que todas as partes envolvidas no processo são beneficiadas, alunos, proprietários de animais e a cidade como um todo.

Serviço – Os interessados podem procurar o Departamento de Medicina Veterinária, no próprio campus da UEMA em Imperatriz, localizada na rua Godofredo Viana, Centro, sempre nas manhãs de quarta feira.

Mais relacionadas

Serviços especializados para animais de estimação têm aumentado em Imperatriz

Animais de estimação que mudaram a vida de seus donos

About The Author

  • André

    Terrível a matéria, tem um bom gancho, mas os erros de manual e de português matam o texto. Posso até estar enganado, mas nunca vi diretor de curso superior, não seria coordenador? Nem tinha lido a legenda da foto e lá tá informado corretamente a função do professor. Precisa fazer uma melhor edição e revisão do texto.

    • Thayse

      Obrigada pela critica, mas acho desnecessário você chegar no texto de uma pessoa, chamando de terrível, gostaria de analisar um texto seu também, já que você é intendido do assunto, quando se fala de escrever uma matéria.

      • André

        Não sou melhor do que ninguém, quem não quer receber críticas melhor mudar de profissão. Infelizmente o jornalismo é uma profissão onde o trabalho tem que ser exposto e com isso receberá críticas e elogios, sei que alguns alunos não estão gostando do que escrevo, não sei se é pq eu também sou acadêmico do curso, mas o site pode ser visitado por pessoas do mundo todo, e outras pessoas também podem fazer comentários parecidos. Procure nesse mesmo site matérias minhas, fiz a disciplina no semestre passado, ou visite o site da ufma faço estágio na Ascom/CCSST e tem algumas matérias minhas publicadas lá, com repercussão em outras mídias da cidade.

        • Thayse

          repito, não estou falando da critica, tanto que agradeci, o site é livre. Mas aonde acaba seu direito começa o nosso, você pode comentar, criticar o que quiser, porém reveja seu jeito de comentar e não ofenda ninguém, porque você sabe tanto como nós, se estamos na universidade é para aprender.

    • Laís

      Achei o texto bom, mas não sabia que o site tinha o ombudsman, para ficar comentando em quase todas as matérias…