Conheça as dez melhores escolas municipais em Imperatriz  

Conheça as dez melhores escolas municipais em Imperatriz  

Texto e fotos de Juliana Eugênioescpoa

 

A escola onde matricular os filhos é sempre uma dúvida entre os pais todo início de ano letivo. Há escolas dos mais variados tipos e perfis, mas nenhuma diferença entre elas é tão nítida quanto a discrepância entre as públicas e as particulares. Entre a rede pública a educação básica, que vai da alfabetização ao nono ano do ensino fundamental, é direito de todos e é obrigação do município garantir que esse ensino seja de qualidade. Segundo a Secretaria de Educação do município (Sedes), Imperatriz possui atualmente 152 escolas municipais e cerca de 42.582 estudantes.

Para que esse ensino seja mantido dentro dos padrões estabelecidos nacionalmente, o Ministério da Educação realiza a cada dois anos a Prova Brasil. Essa prova consiste em questões de português e matemática aplicados em dias alternados para alunos das séries iniciais e finais do ensino fundamental. Com esse resultado, listamos as dez escolas mais bem colocadas e suas particularidades quanto ao ensino, estrutura e localidade. Vem conferir!

  1. Escola Municipal Santa Laura

Localizada na Rua Beta, no bairro Bacurí, a Escola Santa Laura obteve a melhor nota na classificação geral da Prova Brasil entre as municipais.  A Instituição possui cinco salas de aula e 518 alunos matriculados. Um dos seus diferenciais é que elas também ofertam duas turmas de supletivos no Complexo prisional CCPJ. Este ano a escola também recebeu diversos prêmios, entre eles o Soletrando, promovido no Salão do Livro de Imperatriz – Salimp, foi premiada na Olimpíada Brasileira de Matemática e ganhou um concurso regional de redação. De acordo com a gestora da escola, a professora Maria Arlete Carvalho Almeida, o diferencial da escola é que eles se envolvem na vida do aluno para além da sala de aula e acabam desenvolvendo vínculos com as famílias. “Isso nos ajuda a manter os Índices de evasão escolar a quase zero, a gente tem como meta que o nosso aluno consiga assimilar corretamente o mundo que o rodeia, e nisso a família é fundamental.” Completa.

  1. Colégio Santos Dumont

A Escola, localizada também no Bairro Bacurí, possui mais de 500 alunos matriculados e uma lista de espera para matrículas. Segundo a direção, dos motivos da intensa procura pela instituição é a aprovação dos alunos em concursos e instituições de ensino médio e técnico sem a necessidade de fazer cursinho fora da escola. A diretora Maria Arlete atribui as altas aprovações à intensa campanha de incentivo à leitura e a um projeto da escola que premia alunos que se destacam em leitura durante o ano. “Aqui nós tentamos ao máximo cumprir os 200 dias letivos aos quais os alunos têm direito, e mesmo quando o professor adoece ou não pode estar em sala de aula, nós sempre damos um jeito e por alguém da direção para substituir. Acreditamos que isso aliado às campanhas de incentivo à leitura faz toda a diferença no desempenho do aluno”, completa.

  1. Colégio João Silva

O único da região do Grande Santa Rita a entrar na lista, o Colégio João Silva é relativamente grande em relação à estrutura: ele possui 18 salas de aula, mais de 500 alunos matriculados e 60 funcionários e 23 anos de funcionamento. João Silva é uma boa opção para quem procura uma escola pública com ênfase na leitura e interpretação de texto na região do Bairro Asa Norte e entorno. Para conseguir bons resultados em leitura e interpretação os professores têm investido em projetos extraclasse não só de leitura, mas também de iniciação científica. O Colégio também conseguiu se classificar recentemente nas Olimpíadas de matemática, do Governo Federal.

  1. Princesa Isabel

Apesar de se localizar no Bairro Entroncamento, região conhecida como setor comercial,  Princesa Isabel atende também o setor Mercadinho e parte do Bacurí e  tem cerca de 156 alunos matriculados divididas em sete turmas, em dois turnos, de acordo com as informações  gestora da instituição, Cristielle Boechat. A escola possui bastante espaço interno e é arejada, possibilitando atividades fora da sala de aula. Cristielle atribui essas particularidades, à formação continuada dos professores e a um trabalho conjunto entre os pais e a escola os ótimos resultados que obtiveram na prova Brasil, que segundo o relatório, passa de 30% dos alunos considerados ‘bons ou ótimos’ pelo MEC.

  1. Luís de França Moreira

A Escola Luís de França é uma das três escolas na região do Bairro Nova Imperatriz. Ela possui 14 turmas, dividas em sete salas de aula entre os turnos matutino e vespertino, é municipalizada, ou seja, pertence à Igreja Assembleia de Deus, mas é mantida pelo município e  divide estrutura física com um seminário evangélico. Segundo o secretário da escola, Antônio Sousa Araújo, a orientação religiosa da instituição é uma das responsáveis  pelo seu bom desempenho escolar. “Procuramos ensinar para as nossas crianças princípios. Temos toda sexta feira a Capela, que é uma reunião fechada da escola com os alunos, que a diretora faz questão de acompanhar pessoalmente, na qual falamos de Deus e de como viver em sociedade.” Afirma Araújo.

  1. Santa Maria

Outra escola da região do Bairro Nova Imperatriz é a Escola Santa Maria, que chama a atenção por ser uma escola inclusiva. Localizada no coração do Bairro Nova Imperatriz, a Escola Santa Maria atende além do bairro, a região do Bairro Cristo – Rei e Três Poderes. Ela possui quase 600 alunos divididos em 12 turmas, matutinas e vespertinas, e de acordo com o Censo escolar de 2015, a escola tem cerca de 40 % de alunos com necessidades especiais dentro de seu quadro de matriculados. “Eu Acredito, que a Escola Santa Maria tenha bons resultados  pois por ser uma escola inclusiva e receber vários alunos com necessidades especiais das mais variadas e também alunos ditos “normais” e não fazermos essa diferença de tratamento entre eles, estamos contribuindo pra formar além de tudo cidadãos mais humanos, preparados pro mercado e para a vida”, afirma a professora Maria Viera, diretora da escola.

  1. José de Alencar

José de Alencar é uma das escolas mais antigas de nossa lista. A escola fica localizada ainda no Bairro Bacurí, mas já nas proximidades do centro da cidade.  Apesar de ser uma escola relativamente pequena, com apenas 8 salas de aula , a coordenadora pedagógica Euciane Aquino, diz que um dos pontos fortes da instituição e que têm contribuído para resultados positivos em exames e feiras de conhecimento, tem sido o intenso diálogo com os pais. “O que eu considero nosso diferencial, é que nós temos uma ligação muito forte com a comunidade. Os pais têm portas abertas e total liberdade para com a escola e também nos permite entrar na casa deles. Então, todas as ações desenvolvidas são junto com eles, eles dizem quais as dificuldades deles em relação à escola e nós fazemos o mesmo, e juntos, tentamos resolver os problemas”, comenta a professora.

  1. Leôncio Pires Dourado

A Escola é a melhor opção em ensino público municipal para o Bairro Juçara, Maranhão Novo, Centro e entorno. Leôncio Pires Dourado, possui 11 turmas funcionando por turno e é uma instituição bastante tradicional na cidade, e foi fundada e até o final dos anos 90 era administrada pela Loja Maçônica, adjunta às suas dependências. Apesar da sua municipalização a escola ainda mantém seus métodos de ingresso, como a  forma de admissão pela análise de histórico escolar, por exemplo. Outra marca da escola é a sua tradicional Banda marcial, que por gerações abrilhantou as comemorações de Sete de Setembro na cidade. De acordo com a coordenadora pedagógica Odinéia Fontinele de Sousa, a capacitação profissional dos professores e da gestão da escola, fazem toda a diferença  na formação do aluno, e quando os professores são capacitados e amam o que fazem, os bons resultados aparecem.

  1. Tocantins

Esta é a única escola municipal entre as dez mais bem colocadas que fica no Centro da cidade, e é uma opção acessível para quem mora nos bairros Centro, Bacurí, Nova Imperatriz e Beira Rio.  A Escola é uma das mais tradicionais da cidade, possui oito salas de aula e funciona nos dois turnos e ainda mantém a tradição do “Momento cívico” todos os dias no início de cada turno. O Momento cívico consiste em cantar o hino nacional, geralmente no pátio da escola, e fazer o juramento à Bandeira em posição de sentido. Essa prática era bastante comum durante o período da Ditadura Militar no País, e segundo a professora de recursos  multifuncionais da instituição, Sandra Maria Rios, a Escola Tocantins mantém a prática porque acredita que a formação de um cidadão passa por entender o que são seus valores, “A prova disso são nossos bons resultados na prova e os nossos alunos que são bem educados  e disciplinados.” Completa.

  1. Wadir Fiquene

Apesar de estar entre os Registros do MEC como Bairro Nova Imperatriz, a localidade onde está a Escola Wadir Fiquene  se chama “Quinta do Jacó” e faz divisa com o Bairro Beira Rio. A Escola é pequena, mas arejada, e os professores fazem a qualificação oferecida pela Prefeitura constantemente. A Coordenadora pedagógica da Wadir Fiquene, professora Cristiane Macedo Costa, atribui o sucesso nos resultados à preparação intensiva que a que os alunos são submetidos para realizarem o exame, e diz que um dos pontos fortes da escola é a parceria com a comunidade e com os pais, o que contribuiu para que a evasão escolar na instituição caísse para quase zero. Se Você mora nos bairros Beira Rio, Centro e Nova Imperatriz, a Escola Wadir Fiquene é uma ótima opção para matricula.

 

INSTITUIÇÃO ALUNOS BONS OU OTIMOS (%) lOCALIDADE
EM ST LAURA 32,75% Bairro Bacurí
EM SANTOS DUMONT 32,4% Bairro Bacurí
COLÉGIO JOÃO SILVA 32,35% Bairro Asa Norte
EMEF PRINCESA ISABEL 30,25% Bairro Entroncamento
EM LUÍS DE FRANÇA MOREIRA 29% Bairro Nova Imperatriz
EM SANTA MARIA 28,75% Bairro Nova Imperatriz
EM JOSÉ DE ALENCAR 27,25% BairroBacurí
EM LEONCIO PIRES DOURADO 25,75% Bairro Juçara
EM TOCANTINS 25,75% Centro
EM WADYR FIQUENE 25,5% Quinta do Jacó
EM ST INÁCIO DE LOYOLA 25,5% Bacurí

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

T

About The Author