Select Page

Luxo: Imperatriz mantém forte mercado de roupas de marca

Luxo: Imperatriz mantém forte mercado de roupas de marca

Autoria: Laís Gomes e Marcelo Nunes

Pauta: Michelle Costa

Fotos: Laís Gomes e Marcelo Nunes

 

Lojas como Aleatory, Calvin Klein Jeans, Carmen Stéffans, MM Jóias, Arte Passo, Statoos, M.Officer e TACO, disponibilizam inúmeras peças e estão entre as lojas mais requisitadas pela clientela da alta sociedade. Como afirma a consultora chefe da loja Carmen Stéffans, Raquel Sousa (2017) “A sociedade imperatrizense busca cada vez mais lojas deste seguimento”, explica a empresária marcela Ferreira. Este fato comprova que existem clientes de luxo que consomem estes artigos.

Segundo a empresária e proprietária da loja Carmen Stéffens Maison, Marcela Karen Ferreira Silva, Imperatriz precisava de uma loja que vendesse uma marca reconhecida no país, por esta razão ela trouxe a loja para a cidade. O empreendimento começou em 2010 e hoje já são quatro lojas espalhadas pelos shoppings da cidade. Bolsas, vestidos e sapatos estão entre os itens mais procurados pelos clientes da alta sociedade. A loja Carmen Stéffans, por exemplo, tem em seu rol de produtos, uma bolsa de couro de piton e detalhes de pedrarias que custa R$ 5 mil. Com destaque para os produtos femininos, a loja também possui vários tipos de sapatos com variados preços e o mais caro custa mais que um salário mínimo, chegando a R$ 1 mil. Preço salgado para a maioria da população, mas não para os clientes de luxo. “Algumas peças são exclusivas, por isso as pessoas não se incomodam com o valor”, explica a proprietária.

A Aleatory também é outra opção para os clientes que buscam um diferencial nas suas compras. A loja dispõe de vários looks para as mais diversas ocasiões. Entre as peças mais procuradas está o suéter simples, de linha fina, que chega a custar R$ 400. O preço surpreende já que em uma loja de departamento não chega a R$ 80. Um destaque nesta loja é o kit de tacos de golfe para decoração, que custa aproximadamente R$ 2 mil.“Embora tenha produtos femininos, o forte da marca é o público masculino”, frisa a vendedora Lohana Silva.

A empresária Iara só compra roupas de marcas conhecidas

A loja Calvin Klein Jeans, conhecida como a queridinha dos clientes. A loja tem produtos unissex, porém, vende mais roupa masculina. Mesmo com preços salgados, como por exemplo, cintos femininos perto dos R$ 400 e gravatas de R$ 300, a loja vende bem. “O imperatrizense tem bom gosto e gosta de gastar com produtos de luxo”, explica o gerente Lucas Ribeiro.

Proprietária da Carmen Stéffens em Imperatriz, Marcela Karen Ferreira, diz que crise não atinge mercado de luxo

 

Mais que vestuário

Mas nem só de roupas se compõe uma produção. A joalheria MM Jóias, oferece um arsenal de assessórios unissex que vão de anéis a relógios, alcançando bolsos bem recheados. De acordo com a vendedora Márcia Sousa, 28 anos, nem mesmo a crise financeira do país atrapalha a venda de joias, incluindo as mais caras.  “A loja vende bem o ano todo e independente da crise, conta com clientes fiéis da alta sociedade”, destaca. As jóias possuem preços variados. Acessórios simples custam a partir R$ 1,8 mil.

“Não posso reclamar do mercado em Imperatriz, visto que, faturamos bem e crescemos dia após dia, somando hoje, mais de quatro lojas espalhadas na cidade”, destaca a empresária Marcela Karen Ferreira. Segundo ela, os clientes pagam caro, mas são exigentes. E se a produção requer ainda um acessório, nada melhor que uma bolsa. Na loja Arte Passo, por exemplo, é possível encontrar bolsas de marcas renomadas, como SAADDE e Vittor Hugo que custam em média R$ 3 mil. São bolsas que custam acima de três salários mínimos, no entanto, existe uma clientela fiel disposta a pagar por produtos até mais caros, acredite!

Quem são esses clientes de luxo?

De acordo com a dona da loja Maison da Carmen Stéffens, Marcela Karen Ferreira, os consumidores de luxo são pessoas que gostam de exclusividade e acima de tudo, amam estar na moda. De acordo com dados do IBGE, a renda per capita dessa população é de pelo menosR$ 23 mil, que correspondem a 7,3% da população de Imperatriz.

A empresária Iara Ferreira da Silva Costa, de 36 anos, é um exemplo de consumidora de luxo. Cliente assídua das mais luxuosas lojas da cidade, ela está por dentro doque há de novo nesse mercado, e prefere comprar roupas ao invés de alugar, independente do valor.  Com seu estilo autodenominado de elegante, a empresária possui um closet com inúmeras peças de dar inveja em muita gente. Entre as variadas peças de roupa, ela possui um kit da Lança Perfume que custou R$ 1,260 mil. Por amar sapatos, possui uma coleção com mais de 30 sapatos nenhum por menos de R$ 590. Como a maioria das mulheres, a empresária é apaixonada por bolsas e pagou quase R$ 2 mil pela sua. “Vale mais a pena comprar roupas do que alugar”, destaca Iara Ferreira da Silva Costa.

 

About The Author