Hospital Materno Infantil receberá residência médica em três especialidades

 

Decisão do Conselho de Gestão Estratégica das Políticas Públicas do Governo do Maranhão determinou a implantação imediata de residência médica em Pediatria, Toco-ginecologia e Neonatalogia no Hospital Materno Infantil de Imperatriz. A expectativa é de que a residência esteja totalmente implantada em cerca de seis meses. As providências da Secretaria de Saúde estadual para cumprir a decisão, no mais curto espaço de tempo, foram informadas ao deputado federal Chiquinho Escórcio (PMDB-MA), durante audiência em Brasília nesta terça-feira com o subsecretário José Márcio Soares Leite.

Durante o encontro, o subsecretário lembrou que a iniciativa de implantar a residência médica no Hospital Materno-Infantil de Imperatriz foi solicitada pelo deputado Chiquinho Escórcio à governadora Roseana Sarney, que atendeu de imediato, por meio do Conselho de Gestão Estratégica das Políticas Públicas de seu governo. “É de extrema importância implantar a residência médica nessas três áreas primordiais de atendimento no Hospital Materno Infantil de Imperatriz. Assim, será possível auxiliar bastante o atendimento de médicos e enfermeiros que atualmente prestam serviço às mães e recém-nascidos que utilizam a estrutura daquela instituição”, ressaltou.

O deputado levou à governadora relatório com as principais demandas dos hospitais de Imperatriz para receber a residência médica. O Hospital Materno Infantil de Imperatriz necessita de reformas físicas e adaptações, além da contratação de tutores para acompanhar os residentes. O secretário de Saúde estadual, Ricardo Murad, determinou à Gestão de Ações e Serviços de Saúde que realize todas as providências necessárias para a implantação urgente da residência médica no hospital.

O subsecretário José Márcio ressaltou ainda que a implantação da residência médica em Imperatriz é pré-requisito para a instalação do curso de Medicina no município. “Essa é uma antiga reivindicação dos munícipes e de toda a região tocantina”, destacou.

Fonte: O Progresso

About The Author