Nem o cansaço da dupla jornada diminui o amor pela profissão

Nem o cansaço da dupla jornada diminui o amor pela profissão
Legenda: Arquivo pessoal

Tátyna Viana é repórter da TV Mirante e do portal de notícias Imirante (Foto: Arquivo pessoal)

 Olhos pequenos e fundos, pele morena, cabelos loiros na altura do ombro com um leve repicado. Aspecto sério e uma voz inconfundível. Tátyna Viana, 30, repórter da Mirante há seis anos, começa sua rotina logo cedo, às 5 horas da manhã. Às 6h15, religiosamente ela faz seu primeiro link ao vivo no primeiro jornal do dia, “Bom dia Mirante”. Nesse curto intervalo de tempo, precisa se dividir entre o deslocamento da sua casa até o prédio da emissora, o café da manhã, a maquiagem e a passagem de texto.

O estresse não escolhe profissão, classe social, homens ou mulheres. A única certeza, segundo a CarrerCast, página de empregos que avaliou 200 profissões nos Estados Unidos, é que a carreira de repórter está entre as cinco profissões mais estressantes do mercado. As principais razões apontadas pela pesquisa são a pressão dos fechamentos, a exigência de trabalhar “em tempo real” com curtos prazos, além do ambiente de trabalho, grau de competitividade, salários e riscos de cobrir conflitos civis.

A repórter nem sempre foi apaixonada pela profissão, durante o ensino médio pretendia cursar Publicidade e Propaganda. Quando assistia a um comercial sonhava com o dia em que usaria sua criatividade pra criar um semelhante e se sentir realizada. Mas não foi bem assim que as coisas aconteceram. No período do  vestibular, Tátyna não tinha muitas opções na sua cidade. Em Imperatriz não havia o curso sonhado nem qualquer outro na mesma área.

Ela pesquisou nas universidades da região e percebeu que Jornalismo tinha muitas disciplinas em comum. Fez o vestibular da Universidade Federal do Tocantins (UFT), na época Unitins, e foi aprovada em 10º lugar. Mudou-se para Palmas, onde viveu por cinco anos, até a conclusão do curso.

Em 2008, voltou para Imperatriz. Distribuiu currículos nas três emissoras de televisão da época: Band, Difusora e Mirante. Foi chamada na última e fez três meses de estágio, pois durante a graduação não teve oportunidade de trabalhar em campo. De carteira assinada, Tátyna deslanchou na profissão e aprendeu, com os desafios diários, cultivar o amor pelo jornalismo.

Mas sua atuação não se limita à TV. Desde o ano passado, começou sua carreira de webjornalista, tendo hoje uma jornada dupla, o que torna seu dia a dia mais cansativo. Das 14 às 19 horas seu trabalho é em frente ao computador, o que, a longo prazo, prejudica a visão. A meta individual é de uma notícia por hora no portal. Durante um dia, Tátyna precisa publicar, no mínimo, cinco matérias.

xx

A jornalista encara dupla jornada todos os dias (Foto: Arquivo pessoal)

Saúde –  Dores nas costas, na cabeça, L.E.R, insônia gastrite, depressão, fadiga visual são alguns problemas motivados pelo estresse, que comprometem a saúde dos jornalistas devido ao conturbado e alucinante dia a dia nas redações.

Um dado alarmante apresentado pela Organização Mundial de Saúde demonstra que a maioria das mortes no mundo são causadas por doenças cardiovasculares.Um estudo publicado pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) revela que 50% dos profissionais morrem de enfarte antes mesmo de completarem 50 anos.

 Tátyna é conhecida entre seus amigos de profissão como “voz das ruas” por conta das suas matérias comunitárias. “É uma profissão que me encanta todo dia. Muitas pessoa, vítimas de alguma situação, veem no jornalismo uma forma de serem vistas. Às vezes até mais do que isso, veem em nós uma esperança de que o problema seja resolvido”, afirma a repórter.

Mais Relacionadas

Luzia Sousa diz que jornalismo popular consegue oferecer mais adrenalina

 

About The Author

  • Eduarda Barbosa

    Muito interessante a rotina dela. Quem vê na tv nem imagina.

  • Paula

    tatyna sempre arrasa

  • Priscilla Arruda

    Nossa, então você não leu. O perfil de Tátyna Viana e a escrita da repórter são cativantes.

    • André

      Infelizmente tive que ler até o final, ainda considero chato e sem graça, perfil não serve para site de notícias, o Imperatriz NOTÍCIAS é um site de NOTÍCIAS, perfil é pra impresso.
      Esse texto tá muito puxação de saco, e pode até ser “cativante” pra quem é “amiguinho” das duas (repórter e personagem).

      • Priscilla Arruda

        A indicação de construir um perfil nesse gancho de saúde foi dada exatamente pelo professor.