Select Page

Projeto “Abrindo o Mercado”: cultura e entretenimento em espaços públicos

Projeto “Abrindo o Mercado”: cultura e entretenimento em espaços públicos

Além de estimular a cultura musical e culinária da cidade, a iniciativa já arrecadou 1,200kg de alimentos não perecíveis para doações.

Texto: Rafael Pestana e Gustavo Araújo

 

Enquanto toma café da manhã regional, a população prestigia apresentação de artistas locais

 

O projeto “Abrindo o Mercado”, iniciativa de Chiquinho França quando presidente da Fundação Cultural, nasceu no Mercado Bom Jesus, localizado na 15 de novembro, com o objetivo de valorizar e diversificar a cultura imperatrizense. Com edições todo domingo, a partir das 7 horas da manhã, a ação visa ocupar os espaços públicos da cidade, levando apresentações musicais para a população em praças e mercados tradicionais de Imperatriz.

Desde sua primeira edição, o projeto tem dado visibilidade para os artistas da cidade mostrarem seus trabalhos, em especial aqueles que tocam MPB e outros ritmos que não são tão valorizados no cenário local. “Ele tem ampliado realmente possibilidades para artistas que tocam a vida toda na cidade e não têm oportunidade”, ressalta Lena Garcia, cantora imperatrizense que se apresentou na primeira edição do “Abrindo o Mercado”.

Lena Garcia abriu a edição do projeto “Abrindo o Mercado

A iniciativa propicia o encontro entre o artista e seu público, “essa coisa da surpresa das pessoas, dos olhares no meio da rua. A pessoa com a sacola e se depara com um artista no meio do mercado, no meio da feira, pra mim, (…) tem sido muito interessante”, é o que declara Lena Garcia sobre sua experiência no projeto. As mudanças geradas pela atividade cultural já podem ser notadas. Se antes o público fazia suas compras e ia embora, “agora as pessoas estão indo e estão ficando na frente do palco, escutando as músicas”, relata o microempreendedor João Henrique, que já participou de três edições do evento.

“Nós estimulamos a participação da comunidade nas feiras tradicionais da nossa cidade”, diz Axel Carlos Brito, coordenador do projeto que tem apoio da prefeitura municipal e da Fundação Cultural. Além da das apresentações artísticas, a iniciativa também incentiva a doação de alimentos não perecíveis. Os que doam, participam de um sorteio de um violão, a cada edição. Os interessados se inscrevem no sorteio com um quilo de alimento, que, no final, são destinados às instituições carentes da cidade. Até o momento, os organizadores já coletaram mais de 1,200 quilos de alimentos.

Artistas interagem com o público na Praça de Fátima

No próximo domingo, dia 19 de novembro, o projeto trará um novo espaço em sua programação, para a valorização da culinária regional com um momento de degustação gratuita de comidas típicas, as quais variarão de acordo com cada edição. A primeira será a panelada, prato bastante conhecido entre os imperatrizenses. Para quem quiser prestigiar de perto nossos artistas locais e provar da famosa panelada de Imperatriz, o próximo encontro será na feirinha da Vila Nova, a partir das 7 horas da manhã.

About The Author