Select Page

Ter fluência em outra língua é imprescindível na vida profissional

Ter fluência em outra língua é imprescindível na vida profissional

Inglês é o idioma mais exigido na disputa por vagas de emprego

 

Texto e Imagens: Quezia Alencar e Sarah Dantas 

 

O estudo de uma nova língua exige dinamicidade e foco. Foto: Divulgação.

A exigência de outra língua além do idioma nativo tem crescido gradativamente e vem se tornando fator essencial para

o ingresso em uma profissão. Hoje, no Brasil, ser bilíngue se tornou um pré-requisito indispensável para a obtenção de sucesso na carreira profissional. Quem procura se especializar e aprender outro idioma está um passo à frente dos demais.

De acordo com uma pesquisa realizada em 2017 pelo site Exame, no Brasil, apenas 5% da população fala uma segunda língua e menos de 3% têm fluência em inglês, que é o mais requisitado atualmente. No entanto, a assistente de recursos humanos, Silvia Maria Carvalho, garante que a língua japonesa está se tornando também importante na hora de conseguir uma vaga. Ela explica que, em nossa região, além do comércio, as indústrias e grandes empresas internacionais estão aparecendo e se instalando pelas redondezas, e grande parte dessas industrias possuem intercâmbio com outros países, sendo o Japão um dos principais.

Silvia Maria relata que além da capacitação, é fundamental ter no currículo um segundo idioma. “Hoje, a gente vê muitos estudantes fazendo intercâmbio, justamente para aprender essa nova língua e entrar no mercado de trabalho. É primordial que essas pessoas, esses novos estudantes, busquem um novo dialeto. Até pra você conseguir um estágio é essencial possuir um diferencial, o ‘basicão’ hoje não é mais relevante.”

Dentre os vários idiomas, atualmente, o inglês ainda é elemento indispensável para uma carreira de sucesso. O professor de inglês Gabriel Porto ressalta que o idioma é considerado universal, pois é falado por cerca de 1/ 4 da população mundial e pode agregar valor ao currículo de qualquer profissional.

Ele aponta que uma das dificuldades encontradas por estudantes e profissionais na hora de estudar outro idioma é a falta de disciplina e foco. “Vivemos na era da informação instantânea e imediata, e muitas pessoas que se dispõem a aprender um novo idioma se iludem achando que esse processo de aprendizagem será tão simples e instantâneo quanto qualquer outra coisa na internet, por exemplo. Não é. Aprender idiomas requer tempo, dedicação, prática, persistência.”

A internet atua como suporte no aprendizado de novos idiomas, além das aulas presenciais.

Algumas pessoas não buscam estudar outro idioma por não terem condições financeiras e muitas escolas idiomáticas particulares acabam sendo muito caras. A estudante Juliana Vicente, por exemplo, não conseguiu uma vaga de emprego por não ter fluência em inglês. A partir disso, resolveu correr atrás do prejuízo e procurar curso de línguas estrangeiras.

 

Foi quando a estudante encontrou o Curso de Inglês Acessível, oferecido pelo Centro Acadêmico José Agenor Dourado do curso de Direito da Universidade Federal do Maranhão. O CIA tem o intuito de facilitar o ingresso dos alunos que não podem pagar um curso de idiomas convencional.

Agora que está cursando, Juliana só tem outras preocupações: conseguir ter a pronúncia adequada de algumas palavras e fazer a adaptação correta de alguns fonemas diferentes no inglês.

Para atingir esse objetivo, o professor Gabriel Porto dá algumas dicas que podem facilitar o aprendizado: “priorize o idioma que você está aprendendo, pesquise todos os dias, busque com afinco o conteúdo. Escute músicas e assista à filmes em seu idioma-alvo. O processo de aprendizagem de idiomas é contínuo e diário, e deve ser levado a sério para que se possa alcançar o sucesso. Tenha perseverança e disciplina.”

No infográfico a seguir, confira os idiomas mais cobrados no mercado de trabalho.

 

Esses são os cinco idiomas mais exigidos no mercado de trabalho

About The Author