Select Page

Dormir depois do almoço aumenta a capacidade de concentração

Dormir depois do almoço aumenta a capacidade de concentração

dormindo

Dormir depois do almoço, a chamada sesta, é um hábito saudável, pois além de renovar as energias aumenta sua capacidade de concentração, de acordo com o  professor de enfermagem da Universidade Federal do Maranhão e especialista em neurofisiologia Fernando Augusto Magalhães.

Um benefício para Alex Araújo que diz ter este hábito desde que começou a trabalhar em dois turnos: matutino e vespertino. Para ele este descanso, que dura em torno de 30 minutos, o ajuda a ter energia para o resto da tarde de trabalho: “eu sinto como tivesse começado um novo dia”.

Fernando Augusto Magalhães diz que esta sonolência é causada justamente pela ingestão de alimento: “Quando comemos em excesso podemos levar o nosso organismo ao estado que chamamos de alcalose pós-prandial: efeito de desvio de energia, deixando o corpo com menos energia para que seja feito o processo digestivo”.

Neste processo a área cerebral também é afetada: “quando isso acontece, essa sonolência tem que ser respeitada, porque ela interfere diretamente na nossa capacidade de atenção, sem atenção não tem concentração, sem concentração não tem aprendizagem”.

Natielle Silva de 14 anos já tem o hábito de dormir depois do almoço: “me sinto mais descansada para fazer as tarefas da escola” e que dormir durante à tarde não altera seu sono da noite: “quando eu durmo a tarde sinto mais sono quando acordo”.  

Para os adolescentes é recomendada a soneca depois do almoço, pois “como eles estão em uma fase de ebulição hormonal, que por si só já indica a perda do potencial de atenção, você faz com que essa capacidade de atenção se equilibre”, afirma o especialista.

Prejudicial

Apesar de ser um hábito saudável o excesso pode ser prejudicial, para isso o professor alerta: “Não existe um máximo de tempo porque devemos respeitar a capacidade de cada um, mas em média, você não precisa de um tempo superior de 15 a 30 minutos”. Tempo suficiente para a melhoria dos “aspectos cognitivos” que são a capacidade de aprender e de concentração.


About The Author